sábado, agosto 07, 2004

Robin das Andanças

Para quem não é leitor assíduo dos belíssimos textos do Robin nem está a par da canalhice da denominada “blogsfera Sampedrense” os últimos textos publicados pelo arqueiro caíram que nem uma bomba. Percebo. O rapaz escreve bem, mostra independência, uma boa dose de sarcasmo e trocadilhos dignos do MEC.
Façamos o perfil da escriba. O Robin mora em Baiões. O Robin trabalha no Balneário. Mas o Robin é também um fraco. Desde logo porque utiliza um jornal de pixels de forma anónima para atingir os seus fins políticos e pessoais. Percebo o coitado. A sua força politica na região ao que parece é fraca (compreende-se. Não é advogado ou dirigente partidário mas sim um simples funcionário balnear). Não lhe passam cartão para coisa nenhuma. Assim, decidiu iniciar as suas cruzadas políticas e pessoais da forma mais cobarde e que lhe permita alcançar as suas vitóriazinhas, visto que pelo duelo justo e com honra (do tipo debate, eleições e outras coisas chatas) nunca conseguiria ganhar nada. A irreverência e independência do Robin são uma treta completa. Bem vistas as coisas, o Robin não passa de uma sopeira politico-partidária que faz o que pode pela sua vidinha.
Robin não gosta também desta freguesia laranja nem do seu divino Imperador. É compreensível: o seu partido aqui não risca nada. O sucesso também o chateia e Carvalhais tem gente e genica para manter um festival de 7 dias por onde passam 40 mil pessoas. Por contraponto, e isso irrita-o, Baiões, grandiosa terra de Robin onde proliferam jagunços e tasqueiros, não é capaz de organizar um torneio de sueca.
Como a ocasião faz o ladrão, o Robin aproveitou a realização das Andanças para continuar a bater no ceguinho. O sr. dr. Robin abomina os porcos e coadores andantes que bailam pelos palcos das andanças mas, verdade seja dito, foi rara a noite que não o vi por lá a abanar a sua farta cabeleira (aliás, devo congratula-lo desde já por, este ano, não ter tido qualquer tipo de problemas na entrada). Dá-nos moralismos democráticos quando se insurge contra as t-.shirts de foice e martelo, as cuecas do Guevara e se mostra chocado com o envolvimento da igreja no projecto, mas em noite animada mostra a sua admiração por Afonso Costa e as suas expropriações à Igreja Católica. Mostra critica e repugno por Adrianus, mas depois de texto publicado toca a ir ao beija-mão para evitar confusão.
Até a visão sectária do festival pintada pelo justiceiro é errada e incoerente. Caso contrário, como é que estes piolhosos, os tais que usam os panos de cozinha da sua avó, conviveriam e dançariam diariamente com betos janotas do tipo do Robin?
Numa coisa, meu caro Robin, tu tens razão. Esta hippielhada é malta um bocado tesa. Enquanto todo o eleitorado do BE andava aqui a beber um finito e a trazer uma garrafita UDACA de casa, tu, numa só noite, gastaste mais em vinho do que uma família hippie gastaria em LSD. Pelos vistos, ganha-se bem no balneário.

|

A bela da Andante-5º e 6º dia



Como devem ter notado, ontem não colocámos a andante do dia. Por isso mesmo, hoje, o Andy dá brinde e dá-vos a conhecer a Patricia e sua amiga. Uns anjos.

|

sexta-feira, agosto 06, 2004

Ultimas Danças



Aproxima-se o final do Festival Andanças 2004 por isso há que aproveitar estes dois últimos dias da melhor maneira possível. Mas não pensem que se trata de um adeus pois já se está a preparar a 10ª edição do Festival. A organização conta com a tua colaboração para a realização do próximo evento,por isso, expressa aqui a tua opinião!

|

Destaque do dia



Isabel Silvestre nossa conterrânea actuará hoje pelas 21h30 na igreja matriz de Carvalhais. Um espectáculo a não perder!

|

quinta-feira, agosto 05, 2004

A bela da Andante- 4º dia



Bebe, bebe, Joaninha, bebe, bebe sem parar.Nem tu imaginavas onde esta foto iria acabar.

|

Robin, manda e-mail que eu publico. Essa crítica toda tinha muito mais piada no sítio dos próprios gajos.

Ps: Traz prendinha de Nice.

|

Chaimite, o melhor tasco de Portugal


|

Baza, baza, vai para casa, casa.

Viver na província é coisa complicada. Não que a vida rural seja injusta ou o mercado de trabalho insuficiente e os meios culturais escassos. Nada disso. A malta aqui está-se bem a lixar para os benefícios fiscais para montar fabriquetas ou para as portagens da IP5. O nosso mais sério problema e o que põe em risco esta doce paz social são essa praga que todos os anos insistentemente nos importunam. Já adivinhou? Exacto. Os urbanos. Esses Alfacinhas&company adoram visitar-nos. Param por cá sempre uns 15 dias”porque depois isto começa a cansar”. Olham para isto como se de um Zoo se trata-se e apesar de morarem num prédio de cor berrante em Santo António dos Cavaleiros, dignam-se a criticar os palacetes dos nossos emigrantes tudo ”porque estão desenquadrados do resto”. Mas, e porque vos confesso eu esta minha latente e assumida militância anti- urbana? Muito simples. Ontem atrevi-me a comunicar com um. Começou por me aconselhar o Café vilarinho porque “aquilo era muito castiço”. Depois disse-me para passar no poço azul ainda que a água”fosse uma beka fria”. Fiz uma pausa. O homem continuou.”Esta serra é bué marrada” e”curto totil jogar matrecos ali no tasco”. A úlcera dilatava. Tive de parar. Serranamente falando, mandei o homem Kukaralhu e anunciei-lhe que ainda andava ele a beber Martini Metz nas docas e já eu bebia aguardente de cana no vilarinho.


PS: O vilarinho é o lugar comum dessa canalha quando a tascos se referem. Pobre canalha a que não conhece o Chaimite. Arruma o vilarinho a um canto. KO técnico. Mas descansem os meus companheiros do Chai. Não vou deixar morada. Pra essa imensa minoria que frequenta o chaimite, deixo aqui ficar uma foto de recordação.


|

Carvalhais, Andanças e afins visto pelos outros.

"Já chega de tão exacerbado protagonismo para Carvalhais, principalmente quando o concelho tem tantas outras. Ela é Andanças. Ela é zona industrial. Ela é Castro da Cárcoda. Ela é Escola Profissional. Ela é a Avicasal. Ela é Perfisa. Ela é Sicornete. Ela é a justiça de Carvalhais. Ela é a porrada do futebol. Enfim, uma panóplia de símbolos incontestáveis de sucesso."
Robin do telhado dixt


Ler prosa completa aqui.

|

quarta-feira, agosto 04, 2004

A bela da Andante- 3º dia



Esta é a "Catty". Bem pode parecer saida de um festival Rock, mas a verdade é que esta jovem trabalha no Bar do recinto pronta a saciar a sua sede. Passe por lá.

|

A não perder.

Hoje ás 11h da noite, no palco 2, Les Aminches.



Sempre a bombar!

|

Só à martelada



No ano passado, o Andanças teve uma contratação de peso para ajudar na divulgação do evento. My name is Sousa, Marcelo Rebelo de Sousa. Isso mesmo, o maior especialista de tudo e coisa nenhuma da Lusitânia referenciou o festival no seu espaço dominical. Confesso que não achei grande piada. O Andanças assume-se com um festival alternativo assim meio virado para o místico e naturalista. Ora, o espaço do professor é o típico programa de televisão para o burguesote médio que tem um Fiat punto, televisão gigante e um pote do Benfica na mesa de jantar. É certo que Mr. Martelo falou aquilo mais para fazer o jeito à sua filha, andante desde os primórdios, do que como adepto do festival mas a publicidade que o professor fez chegou mesmo a assustar-me. Sigam-me no raciocínio: o homem disse que o Santana não passava da cepa torta e é o que se sabe. Fez uma coligação com o Portas e acabou como acabou.”Durão Barroso não vás para a Europa”, mas o Zé Manel foi e nem bilhete de despedida lhe deixou. Ufa!E fiquemo-nos por aqui. Todos estes exemplos só para mostrar o óbvio: o sôtor Marcelo é um verdadeiro antípoda do Rei Midas. Onde Toca estraga. Não dá uma para a caixa. O homem fala disto e é ver o festival a transbordar de betos e a venda de sabão a aumentar. Professor, ouça-me: Vá para Celorico, irrite a Moura Guedes mas, por favor, não venha para aqui fazer directos com a sua dicção irritante e as suas piadas janotas.

|

Já só falta o Zé Castelo Branco!



Pois é, desenganem-se aqueles que pensam que o Andanças é um festival popularucho sem direito a presenças VIP. Esta menina aqui da foto foi ontem avistada pelos bares e palcos do andanças. O nome dela? Sinceramente, não sei. Mas sei que a menina fez em tempos uma série juvenil chamada “Riscos” onde tinha umas madeixas azuis, era a galdéria da turma, onde quase apanhou a sida e conduzia uma DT 50 com cano de escape de rendimento. Hoje a menina trocou a série pelas novelas e decidiu visitar as Andanças. Por sua conta e… risco.

|

terça-feira, agosto 03, 2004

O barman-escultor(um génio de carvalhais)



Filipe Guimarães. Formado pela Escola profissional de Carvalhais, muito cedo demonstrou gosto e engenho para a arte de partir pedra. Luís Queimadela, reputado escultor cá do burgo, apercebeu-se do seu talento e muito cedo o chamou para trabalhar consigo na feitura de diversas estátuas e interiores de casas. Mas para Guimarães S. Pedro do Sul e este marasmo cultural era pequeno demais. Mandou Queimadela às urtigas e decidiu ir estudar para a Faculdade de Belas artes. Hoje, é um homem de sucesso: é barman nas andanças, mora no Cachamuço e tem exposição no salão Paroquial. Um génio. Favor dar uma espreitadela.(as entradas são grátis).

Apesar da imagem não o mostrar, o homem gosta é de vinho.

|

A bela da Andante- 2º dia

Como prometido, aqui está a segunda "miss" do festival!



Força Carol!

|



Isto aqui nem em Las Vegas. Homem Cardoso coraria se visse esta foto tirada aqui pelo Je.

|

O festival de merda

Vá, não estejam já para ai a apupar a malta aqui do Andanças só pelo invólucro deste artigo. O título do texto é, admito, cru e rude. Mas é também sincero e honesto pois não vos esconde a maior evidência deste cortejo de danças. Surpreendo-vos? Atentem: a generalidade das pessoas que passam pelas andanças cheiram a quê? Merda. A comida da cantina, claro está, é também ela uma boa merda. E o que é que a malta fuma por aqui? Umas merdas. Que emprego temos nós? Um verdadeiro emprego de merda. E o que é que vai dar se continuarmos a publicar artigos com palavreado deste género? Sim, isso mesmo. Vai acabar por dar merda.

|

Quem somos

As Andanças andam em êxtase. Não há uma única criatura letrada(ok, admito, não são muitas) que não queira saber quem são os prosadores que fabricam este linhas. Um currículo extensivo, com perfil politico e orientação sexual incluído, pedem os mais desconfiados. Um foto de corpo inteiro pedem as mais depravadas .Pouca sorte meus plebeus. Quanto ao nosso currículo ficamo-nos pelo cartão de sócio do ACP e a leitura diária d’A Bola. Os escribas do Andy não têm vida cívica, política e cultural e abominam o saber e o conhecimento. Podemo-nos considerar uma espécie de Bárbara Guimarães antes de conhecer o Carrilho. Quanto à nossa foto, no que a mim me diz respeito, nem com desfocagens e tratamentos de imagem irão ver este cafre no vosso ecrã. Sou adepto daquela crença aborígene que acredita que a fotografia nos rouba a alma. Quanto ao meu companheiro, o caso está bem mais facilitado. Basta irem ao www.gaysonline.pt.

|

Um dos redactores do Andanças encontra-se em plena ressaca. Queremos portanto, desde já, pedir aos nossos leitores que aceitem as nossas sinceras desculpas por todos os atrasos e inconvenientes que o facto possa causar.

|



E depois de tantas “(An)danças”
Não percas o nosso espaço dedicado à leitura

Moinho—Biblioteca
Este moinho, aberto das 10h30-12h, permite-te requisitar:
· Livros da Região
· Livros Infantis
· Livros de culinária, ambiente e ervas
· Leitura portuguesa
· Etc…
E, ainda, adquirir algumas das Publicações da região.

|

Destaques do dia



A partir de hoje passaremos a incluir no nosso blog esta rubrica. Para quem gosta de Música Popular Portuguesa tem de obrigatoriamente "dar um pezinho" de dança no Palco 3 pelas 22h onde actuará um grupo aqui da terra, os "ALafum".
Mais tarde pelas 24h no palco 4 o grupo Italiano "Spakabrianza" fará as delícias dos amantes da música tradicional de baile, com muita energia e ritmo certamente serão uma das atracções do festival.

|

segunda-feira, agosto 02, 2004



Um dia normal aqui na redacção do Andanças on-line.


Comunicado do Sindicato de Jornalistas on-line de Festivais de Danças: As nossas condições laborais são degradantes. Exigimos melhores PC's e folhas de papel navigator. Esta é a nossa luta!

|

O target do Andy



O sucesso do Andanças on-line confirma-se em qualquer esquina do festival. Ainda ontem à noite a redacção aqui do folhetim conseguiu ver 6 festivaleiros a irem ao grego. Para eles, o nosso sincero bem haja. São pessoas assim a razão da nossa existência.

|

A bela da Andante-1º dia

Para quê ver o resto se é isto que interessa?




|

Os pés ja se mexem ao ritmo dos sons "quentes" do ANDANÇAS 2004!




|



Pode não parecer, mas o Andanças é um Jornal sério. Não fabricamos notícias, não alimentamos boatos e não pede cartão de crédito para se aceder à sua majestosa prosa. Porventura, o sucesso, a citação em imprensa nacional e o nº de page visits seriam bem maiores caso optássemos por um estilo tablóide. Um título, um frase, uma entrevista escaldante e era ver as ligações ao Andanças a aumentar de forma exponencial. Imagino a coisa:”Escândalo (em letras garrafais e na diagonal): NÃO HÁ DROGA NAS ANDANÇAS” ou “ Foi avistado um Andante a comprar um sabão e uma escova de arame.” Melhor:”Andantes não gostam do Bloco de Esquerda”. Fácil não era? Claro que sim. Mas, como dizia o outro, podem tirar o equídeo da pluviosidade. Não contem com o Andanças para patrocinar o jornalismo espectáculo. Por aqui, continuaremos com o rigor e a cadência própria de um jornal sério e sem complexos de noticiarmos o chato e o óbvio. Como por exemplo, dizer que há droga nas andanças, que aqui ninguém compra sabões e malta toda adora o Louçã.

|

O Andy e os leitores.

O Andante on-line é um jornal infame e pecaminoso. Não toma partido entre esquerdas e direitas, crentes e ateus ou entre ganza marroquina e erva da Holanda. Ainda que o respeito para com os seus leitores seja mínimo, o jornal tem e-mail à vossa disposição (andante@tugamail.com). Por favor comente. Com um bocado de sorte ainda chega a Primeiro-ministro.

|

O Andy está a crescer!

Depois de umas horas a jogar CM4 e Counter Strike em rede à custa do Festival Andanças, estes dois geniais cérebros que dirigem o Andanças on-line magicaram uma nova rubrica para tornar o sítio mais atractivo. Curiosos? Preparem-se: “A bela da Andante”. Será esse o nome do novo espaço. Muito resumidamente, consistirá na escolha do melhor exemplar fêmea que os reporters do Andy conseguirem captar coma sua objectiva, publicando uma foto diariamente. Poderão dizer que se trata de uma rubrica básica e vulgar sem qualquer imaginação. Sabem que mais? É verdade, sim senhora. Mas, ora bolas, beber cerveja, fumar e dançar é coisa que o homem de Neanderthal já fazia e isso não impede que existam festivais onde se deslumbra todos esses cultos ancestrais e no fim ainda se pague 80 euros.

|

Livro de estilo

É normal, quando se inicia uma publicação, fazer um editorial de boas vindas com frases redondas onde se afirma e reafirma os critérios editoriais e a total imparcialidade do pasquim. Lamentámos desiludir, desde já, o caro leitor. Critérios? Editoriais? Não brinquem. Acabámos de montar o estamine e- além da forçosa cópia do Jornal andanças para versão on line- não fazemos a mínima do que esta página poderá tratar. Imparcialidade? Por favor, arrumem os violinos. Os redactores do Andante andam tesos até ao tutano e por 5 euros compram a nossa réstia de honestidade intelectual. Nada de grave, pensamos nós. Afinal, este maquiavélico projecto têm os dias contados. Uma semaninha. Nem mais um dia. O nosso ócio e ganância ainda que latentes não serão suficientes para nos tornarmos nuns berlusconis do Festival. É pena.


|

Editorial

Imaginem uma cave com paredes de tijolo vermelho, com um poster dos Van Halen e um minúsculo janelo a dar para as traseiras de um restaurante. Imaginem ainda uma secretária de castanho, velha e de cor gasta onde apenas se equilibra um pc e um cinzeiro cheio de beatas mal apagadas. Imaginem depois dois tipos vestidos tendencialmente de preto e com sembleant carregado. Já chega. Não imaginem mais. Não somos masoquistas e não queremos que esta tortura de cenários fantasmagóricos continue.
O Jornal Andanças é ( acreditem!!!) a imagem dessas linhas que vos acabou de dar um arrepio na espinha. Mas não tenham pena de nós. À parte do inconveniente de partilhar a redacção com o jornal on paper, estes dois dignos redactores sentem-se como peixes na água prontos a dar a conhecer as andanças tal qual elas são. Fique por aqui. Não aceite imitações.

|